Percussão em Villa-Lobos
12.mai 2024

Heitor Villa-Lobos, alinhado aos ideais de expressão de um novo Brasil propagados pelo Modernismo, buscou uma fusão entre elementos da tradição erudita europeia e manifestações culturais do folclore popular brasileiro, explorando em sua música características de composições de povos indígenas e de regiões do continente africano, bem como elementos do samba, choros e cantigas de roda, além da imitação de sons da natureza, como o canto dos pássaros, unindo nessa mistura os princípios para a construção de uma identidade musical nacional.

Mostramos, abaixo trechos de áudios e trechos de partituras nos quais estão presentes os instrumentos musicais de percussão tipicamente brasileiros utilizados nas obras de Villa-Lobos.

 

CARACAXÁ

Inspirado em um instrumento homônimo de origem indígena e desenvolvido por Villa-Lobos na forma retangular; a base plana de maior comprimento permite que a percussão do material interno resulte em uma melhor definição da cor tímbrica.
Saiba mais sobre o instrumento

trecho de partitura choros n.8 caracaxá solo

Fonte: VILLA-LOBOS, Heitor. Choros Nº 8. Orquestra Sinfônica de São Paulo & Coro da OSESP, Regente:  John Neschling. 2008.

 

Áudio no qual se ouve somente o instrumento:

Fonte: ANUNCIAÇÃO, Luiz D’. Os instrumentos típicos brasileiros na obra de Villa-Lobos. Ed. bilíngue. Rio de Janeiro: Academia Brasileira de Música, 2006 –  Exemplo n. 9 da pág. 105 integrante do CD anexo ao livro.

CARAXÁ

Instrumento que se assemelha à uma cabaça de fricção angolana, e pode ser descrito como um tipo rudimentar da família do reco reco. A peça estreita e dentada deve ser friccionada com uma pequena vareta roliça.

Caraxá

 

Fonte: VILLA-LOBOS, Heitor. Choros Nº 8. Orquestra Sinfônica de São Paulo & Coro da OSESP, Regente:  John Neschling. 2008.

Áudio no qual se ouve somente o instrumento:

Fonte: ANUNCIAÇÃO, Luiz D’. Os instrumentos típicos brasileiros na obra de Villa-Lobos. Ed. bilíngue. Rio de Janeiro: Academia Brasileira de Música, 2006 –  Exemplo integrante do CD anexo ao livro.

CAMISÃO 

Camisão mvim_mvl_me_001_01

Fonte: VILLA-LOBOS, Heitor. Mandu-çarará. Orquestra Sinfônica de São Paulo & Coro da OSESP.  Regente: Isaac Karabtchevsky. 2015

CHOCALHO

Fonte: VILLA-LOBOS, Heitor. Mandu-çarará. Orquestra Sinfônica de São Paulo & Coro da OSESP.  Regente: Isaac Karabtchevsky. 2015
Fonte: ANUNCIAÇÃO, Luiz D’. Os instrumentos típicos brasileiros na obra de Villa-Lobos. Ed. bilíngue. Rio de Janeiro: Academia Brasileira de Música, 2006 –  Exemplo integrante do CD anexo ao livro.

MATRACA SELVAGEM

Dois bastões rítmicos que são percutidos um contra o outro, de acordo com a definição de Heitor Villa Lobos para o instrumento, por ele inserido no segundo dos três Poemas Indígenas , versão para coro misto e orquestra.

Material: Bambu

Matraca Selvagem

Áudio no qual se ouve somente o instrumento:

Fonte: ANUNCIAÇÃO, Luiz D’. Os instrumentos típicos brasileiros na obra de Villa-Lobos. Ed. bilíngue. Rio de Janeiro: Academia Brasileira de Música, 2006 –  Exemplo integrante do CD anexo ao livro.

PRATO DE LOUÇA

Simples prato para refeição, com espessura consistente. Deve ser percutido com um garfo ou uma faca, que funcionam como uma baqueta. Usado na Cantata profana “Mandu-Çárárá. A partir do compasso do n. 26 de ensaio.

Material: Louça

João da baiana no prato

Noneto prato de louca 16 ensaio p. 22

Fonte: VILLA-LOBOS, Heitor. Noneto. Toninho Carrasqueira, flauta – Luis Carlos Justi, oboé – Sérgio Burgani, clarinete – Aloysio Fagerlande, fagote – Dilson Florêncio, sax – Silas Lima, harpa – Maria Elisa Risarto, celesta – Paulo Braga, piano – Elizabeth Del Grande, Ricardo Bologna e Eduardo Gianesella, percussão – Mara Campos, Regente Preparadora do Coro Misto – Gil Jardim, Regente. [2003]

 

Áudio no qual se ouve somente o instrumento:

Fonte: ANUNCIAÇÃO, Luiz D’. Os instrumentos típicos brasileiros na obra de Villa-Lobos. Ed. bilíngue. Rio de Janeiro: Academia Brasileira de Música, 2006 –  Exemplo integrante do CD anexo ao livro.

PUÍTA ou RONCADOR

É um tambor de fricção, como a cuíca. Também conhecida como roncador, em função de sua tessitura grave.

Puita

Choros Nº 6-Sinfônica Petrobras Pró Música cuíca e roncador 49 e 50 de ensaio pg 6 percussão

Fonte: Choros Nº 6-Sinfônica Petrobras Pró Música cuíca e roncador 49 e 50 de ensaio pg 6 percussão

 

Áudio no qual se ouve somente o instrumento:

Fonte: ANUNCIAÇÃO, Luiz D’. Os instrumentos típicos brasileiros na obra de Villa-Lobos. Ed. bilíngue. Rio de Janeiro: Academia Brasileira de Música, 2006 –  Exemplo integrante do CD anexo ao livro.

TAMBORIM DE SAMBA

Menor e mais agudo tambor dos ritmos brasileiros . Possui uma única membrana e é do tipo adufe, razão pela qual tem o fuste estrito, sem a função de caixa de ressonância.

Noneto tamborim 3 de ensaio, pg 4 partitura geral

VILLA-LOBOS, Heitor. Noneto. Toninho Carrasqueira, flauta – Luis Carlos Justi, oboé – Sérgio Burgani, clarinete – Aloysio Fagerlande, fagote – Dilson Florêncio, sax – Silas Lima, harpa – Maria Elisa Risarto, celesta – Paulo Braga, piano – Elizabeth Del Grande, Ricardo Bologna e Eduardo Gianesella, percussão – Mara Campos, Regente Preparadora do Coro Misto – Gil Jardim, Regente. [2003]

 

Áudios nos quais se ouve somente o instrumento:

Toque preso
Toque solto
Estalo
Fonte: ANUNCIAÇÃO, Luiz D’. Os instrumentos típicos brasileiros na obra de Villa-Lobos. Ed. bilíngue. Rio de Janeiro: Academia Brasileira de Música, 2006 –  Exemplos integrantes do CD anexo ao livro.

TAMBOR SURDO

Membranofone que faz parte da família dos tambores genericamente chamados de surdos, em função da ausência de cordas acopladas a qualquer uma de suas membranas.

Áudios nos quais se ouve somente o instrumento:

Toque solto
Toque com a mão sem baqueta
Toque preso
Toques juntos
Fonte: ANUNCIAÇÃO, Luiz D’. Os instrumentos típicos brasileiros na obra de Villa-Lobos. Ed. bilíngue. Rio de Janeiro: Academia Brasileira de Música, 2006 –  Exemplos integrantes do CD anexo ao livro.

TAMBU-TAMBI

Constitui-se de duas peças de bambu, uma para cada entonação, e são tocadas por um só executante. Segundo a pesquisa de Luiz D’Anunciação, o nome foi fruto do hábito de cegos que pediam esmola batendo duas tabocas (bambus) no chão da porta da Igreja do Carmo na Praça João Lisboa, em São Luis do Maranhão.

Tambu-tambi

VILLA-LOBOS, Heitor. Choros nº 6. Orquestra Petrobrás Pró Música do Rio de Janeiro. Regente: Roberto Tibiriçá. Gravado ao vivo no Theatro Municipal do Rio de Janeiro em 07/06/2002

Áudio no qual se ouve somente o instrumento:

Fonte: ANUNCIAÇÃO, Luiz D’. Os instrumentos típicos brasileiros na obra de Villa-Lobos. Ed. bilíngue. Rio de Janeiro: Academia Brasileira de Música, 2006 –  Exemplo integrante do CD anexo ao livro.